Cães braquicefálicos: como cuidar?

 

 Texto: Dra Thayana Queiroz ( @cirurgiavet)

 

Sabia que os animais chamados braquicefálicos (buldogue francês e inglês, pug, lhasa, shitzu, pequinês, persa, etc), que são aqueles com o focinho curto e achatado, possuem uma predisposição a ter problemas anatômicos da parte respiratória? 

A síndrome braquicefálica é caracterizada pela obstrução parcial das vias aéreas superiores, devido a alterações anatômicas das mesmas. 

Cada animal pode apresentar os sinais em diferentes graus de intensidade. Os sinais clínicos associados a esta síndrome são: respiração ruidosa, intolerância ao exercício, dificuldade e agonia respiratória, língua azulada (cianótica), desmaios (síncope), entre outros. 

Dentro da síndrome pode ocorrer: estenose das narinas, prolongamento do palato mole, sáculos laríngeos evertidos, estreitamento de glote, hipoplasia traqueal, colapso de laringe e/ou traqueia. Em grau avançado e sem tratamento adequado pode levar a hipertermia, asfixia e até óbito do animal. 

 A manutenção do peso ideal, evitar calor excessivo e o procedimento cirúrgico fazem parte do tratamento desta síndrome para que o seu animalzinho tenha uma melhor qualidade de vida! 

A prevenção é sempre a melhor forma de tratamento, portanto procure um médico veterinário para avaliação do seu cão enquanto ele ainda é jovem, assim poderá viver bem e respirando confortável pelo resto da vida. 

Afinal, não tem nada pior do que sentir falta de ar, não é mesmo?