8 Dicas para apresentar seu bebê ao seu filho peludo

Quando um bebê está chegando, além da alegria, ele traz um turbilhão de dúvidas. Uma pergunta frequente é a respeito da apresentação do bebê aos animais da casa e também se eles se darão bem. Sabemos que os bebês trazem uma grande mudança de rotina. É necessário preparar os animais desde a gravidez prevenindo e antecipando os acontecimentos que virão com a chegada do bebê. 1- Propicie maior independência para seu pet. Pode parecer difícil, mas quando o bebê chegar, a atenção será dividida e é natural que a atenção seja maior para quem necessita mais. Não queremos que este afastamento seja abrupto e muito menos que o cão o associe ao bebê.  Se for desejável que o animal pare de subir em mobílias, proíba ainda na gravidez. 2- Exponha de forma gradual e carinhosa aos animais os novos cheiros e sons que virão com a chegada do bebê. Mostre a eles fraldas, roupinhas, sabonetes e objetos de bebê, assim como também brinquedos com som, carrinho de bebê em movimento e outros objetos que façam ruídos. Além disso, apresente sons de choro e outros sons de bebês para habituá-lo. Se este apresentar um comportamento tranqüilo recompense-o com petiscos ou caricias. Se o animal se mostrar agitado diminua o volume, aumentando progressivamente.  Se o bichinho demonstrar medo ou agressividade, traga-o ao HVB. 3- Bebês podem mexer nos comedouros dos animais. Considerando isso avalie como seu cão costuma se comportar quando esta se alimentando. Dependendo da resposta pode ser necessário um trabalho individual ou não deixar alimento disponível sem supervisão. 4- Depois que o bebê nascer é usual que ele fique no hospital até completar 48 horas. Aproveite esse tempo para levar roupinhas sujas do bebê para que os animais já tenham contato com o odor da criança. 5- Desde cedo ensine a criança a respeitar o animalzinho como um ser vivo, como tocar e acariciá-lo, assim como também a respeitá-lo quando demonstrar que não quer ser tocado. Nunca permita que seu filho use o seu bichinho como um brinquedo. 6- Propicie uma rota de fuga, um local para seu bichinho relaxar sem que seja perturbado, portões que permitem que o cão passe por baixo ou locais altos para gatos são ótimas alternativas. 7- Na chegada do bebê em casa, primeiro a mãe deve chegar sem o bebê, permitindo que eles a cheirem. Depois disso a apresentação pode ser feita. Se tiver vários animais apresente um de cada vez, começando pelos mais calmos. Para realizar a apresentação, uma pessoa segura o animal e outra pessoa o bebê, e faz-se a aproximação. Não force o processo, não persiga o animal com o bebê, é ele que deve querer se aproximar. Se o animal se comportar de forma agitada, querendo pular ou tocar de forma brusca o bebê diga “não” e afaste o bebê. Tente novamente. Para os cães o comando senta é útil nesse momento, se ele souber utilize antes da reaproximação. Se ele se comportar de forma calma, permita que cheire o bebê então acaricie e/ou ofereça petiscos ao cão. Se em qualquer momento o cão se mostrar agressivo, ou se você não se sentir seguro com o procedimento procure a ajuda com a nossa equipe. 8- Durante a rotina do dia a dia é comum que os animais recebam mais atenção quando o bebê está dormindo e pouca atenção quando o bebê está acordado. Dessa forma o animal pode associar a presença do bebê com a ausência de atenção. Devido a isso lembre-se de dar atenção ao peludo mesmo quando a criança estiver acordada. Se o cão recebe atenção na presença da criança, fará com que ele associe boas coisas à criança. Com uma boa preparação você terá um cão que cuidará de seu bebê como se fosse seu próprio filhote, numa relação de amor incondicional e única. A Terapeuta Veterinária possui um trabalho exclusivo para preparar a família para a chegada do bebê.  Avaliando sua rotina, ambiente e animais e passando florais e orientações personalizadas pra sua família. Por Daniele Graziani – CRMV 13752